Treinar em casa

Não há volta a dar, vamos mesmo ficar em casa mais uns tempos e, além de teres mais do que disponibilidade para ler a Blogazine, também já não há desculpa para treinar. Sim… em casa!

Tens tudo a postos? Cá vão várias opções de treino: bem sei que quando vês lives de Personal Trainers no Instagram que lhes dás um valente swipe right, mas não o faças! Está atento a PT que façam exercícios que sejam do teu gosto e da tua capacidade e marca no despertador do telemóvel (ainda te lembras como se usa essa app?).

A parte boa disto é que podes treinar LITERALMENTE com quem quer que seja porque todo o mundo está fechado em casa, por isso é hora de pesquisar aquele crossfiter internacional que só dava aulas pagas no valor de rins ou um treinador do outro lado do país que sempre ouviste falar mas que nunca tinha dado aulas via Internet.

Há muitos ginásios que também estão a usar as suas plataformas para dar aulas online o que até pode ser uma boa oportunidade de investigar as opções que tens ao pé de ti para quando a vida voltar ao normal. O tráfego de net é o limite à imaginação e, mesmo se isso falhar, tens os dados móveis!

Se queres algo mais “pessoal” e dirigido a ti, há PT que continuam a dar treino mesmo em casa. O conceito é simples: câmara a apontar para ti que estás a treinar e ele em casa vai dando indicações de posição do corpo, exercício, etc. Ninguém melhor do que eles para ver se os nossos agachamentos nos vão dar uma bunda fit ou uma valente complicação nos joelhos.

Na hora de deixar de lado a frustração de estar fechado em casa, nada como dançar. Para tal, muitos instrutores de modalidades como Zumba estão a dar aulas (pagas) através de aplicações (Zoom ou House Party) em que “festa” é mesmo palavra de ordem. A ideia é estar “todos juntos” estando cada um em sua casa e dar aquela noção de “normalidade” a uma aula. O efeito é o esperado: durante aquele tempo não se pensa em nada a não ser em dançar e garantir que o entusiasmo não nos leva a deslocar a mesa da sala.

Há uma app para isso e é verdade. Marcas como Adidas ou Nike têm apps grátis em que parece que estás a treinar com alguém. Os exercícios são pré-gravados e exibidos ao mesmo tempo que o aluno faz a aula. A app da Nike tem cronómetro que vai tendo mais ou menos tempo de treino e pausas consoante o exercício e uma voz que parece adivinhar o que estamos a fazer de mal enquanto estamos a treinar. Já a app da Adidas é mais “ao teu ritmo” e tens de ser tu a contar as reps e a swipe up para mudar de exercício, o que acaba por tirar um pouco de foco no treino para estar sempre a pensar “Já fiz as 10 reps?”

Se tudo o resto falhar, vai para o YouTube! E nem tens desculpa para “falta de material”: Pacotes de leite, vassouras, garrafões de água, o peso do teu próprio corpo… tudo pode gerar um ginásio se houver vontade e know-how.

Basta querer! Vamos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *