5 dicas para lidar com as birras

“Faz birra por tudo e por nada, não sei mais o que fazer!” – Damos-te 5 dicas essenciais!

As birras são mais uma da dor de cabeça para os pais. Ali por volta dos 2 anos, as crianças ganham asas e testam as suas cordas vocais. Deixamos-te algumas dicas essenciais para lidar com as birras.

Se a birra não puder ser evitada, não te assustes. Lembra-te que é só mais uma fase e com alguma paciência passará mais depressa do que dizem. Estas são 5 dicas que combinadas resultam muito bem na gestão desta fase de birras.

birras 1

1. Utiliza frases curtas e claras

A velocidade de processamento de informação da criança, bem como a informação que ela reconhece, é diferente da nossa. Por isso, não adianta conversar com ela como se fosse um adulto. É necessário respeitar, mas utilizar frases simples para que as possa compreender com mais facilidade.

2. Olha a criança nos olhos

Todos gostamos quando alguém se coloca à nossa frente para conversar, para trocar ideias, para nos ajudar a entender o que estamos a fazer errados. Acredito que tu também deves gostar. As crianças também. Para, coloca-te à altura da tua criança e conversa com ela. Apenas isso importa nesse momento e isso facilitará a sua atenção.

birras 2

3. Compreende-a

As birras são o procedimento mais simples de manifestação de que algo não está bem. Ou porque não concordam, ou porque estão tristes ou cansados, a birra apresenta-se, muitas vezes, como a forma mais fácil para comunicar. Por isso, e uma vez que as crianças ainda não são capazes de exteriorizar os seus sentimentos e desejos de outra forma, é teu dever compreender o que se está a passar.

Nem sempre é fácil perceber o que querem. E, por vezes, nem querem nada na verdade. Estão apenas cansados, com sono, aborrecidos. Tenta compreendê-la, e fala com ela com calma, explorando o que ela precisa para se acalmar. Podes sempre tentar explorar sentimentos, desejos por brincadeiras e até aproveitar o momento para introduzir uma distração (inicia uma conversa sobre algo que podem fazer naquele momento, por exemplo).

birras 3 pixabay

4. Dá-lhe margem de manobra

Se começaste desde cedo a utilizar esta estratégia, provavelmente a tua criança já estará habituada a essa regra. É muito importante que lhe dês tempo para terminar as brincadeiras, para aproveitar o tempo sem estar constantemente a ser chamada para parar. As crianças fazem birra com muita facilidade quando lhe tiramos um brinquedo ou quando já não podem jogar mais à bola ou mergulhar na piscina. Informar de que a brincadeira está a chegar ao fim é uma boa estratégia para que ela aprenda que tudo tem um limite, mesmo a brincadeira.

Mas, é importante que ela perceba que depois da chamada para terminar ainda tem um tempinho para “se despedir” da brincadeira. Diz-lhe “só mais uma volta, ou mergulho, ou mais um jogo” são ótimas formas de a informar de que estão quase a terminar. Se mesmo assim fizer birra, relembra-a do combinado e promete que poderá repetir (ou outra coisa que esteja nos planos e ela adore).

birras 4 pixabay

5. Sê consistente

Utiliza sempre a mesma forma de proceder. Assim, ela saberá com o que pode contar nas vezes seguintes.

Se estás a passar por uma fase de birras, respira fundo e acredita que juntos conseguem dar a volta. Lembra-te destas dicas e coloca-as em prática. São coisas simples, mas que fazem toda a diferença. Repara na atitude da tua criança e daqui a umas semanas diz-nos como correu. O mais importante é manteres a calma, a paciência e a consistência. No fundo, não esqueceres que são apenas crianças. Tu estás a ensinar-lhe como deve reagir. Por isso, sê o seu melhor exemplo.

birras 5

Aplicas alguma destas estratégias? O que observas quando as praticas? Gostaste deste tema e queres mais? Conta-nos a tua experiência. Estamos aqui para te ajudar e acompanhar, para que nunca te sintas só nesta jornada!

Luísa Felgueiras

Mãe de dois, o Gabriel e a Estrela. Terapeuta Ocupacional de profissão, com exercício e formação nas áreas da pediatria e saúde mental. Blogger nos tempos livres, autora do Blog da mamã Lu. A escrita faz parte da sua vida desde que lhe deram um diário e um lápis para a mão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *