Rinite alérgica: Uma complicação?

A Primavera, os pólens estão aí e tu estás sempre a espirrar?

Com a Primavera, chegam os pólens e, com a circulação destes pelo ar, algumas pessoas começam a espirrar e com corrimento nasal, alguns dos sintomas de uma doença chamada rinite alérgica. A rinite alérgica é causada pela exposição da mucosa nasal a agentes alergénios aos quais o doente é sensível.

Quais os sintomas?

Os principais sintomas são:

– Espirros;

– Comichão nasal persistente;

– Pingo do nariz alternando com o nariz congestionado;

– Dificuldade na perceção de odores.

Estes sintomas mais comuns podem ser acompanhados de prurido ou comichão na garganta, nos ouvidos e olhos. Nos casos mais graves, a rinite alérgica pode associar-se a hemorragias nasais frequentes ou a tosse frequente.

Rinite Alérgica: Uma Complicação?

Nas crianças e adolescentes, a rinite alérgica afeta a qualidade de vida de forma significativa, com os seguintes episódios:

– Perturbações de sono;

– Despertar frequente durante a noite, devido à congestão nasal intensa;

– Secura da orofaringe.

Tudo isto se reflete na capacidade de aprendizagem e um maior cansaço no dia-a-dia.

Principais Causas

– Exposição a pó doméstico;

– Exposição a pólens;

– Exposição a pelos de animais;

– Manifestações de rinite no contexto de alergia a medicamentos ou a alimentos.

Como deve ser feito o tratamento?

– Identificar quais os agentes causadores;

– Medidas de higiene e controlo ambiental (limpezas mais frequentes, aspirar alcatifas, retirar peluches dos quartos das crianças, entre outros);

– Tratamento com fármacos, como anti-histamínicos e/ou corticóides nasais e/ou leucotrienos (apenas devem ser tomados sob indicação médica), associados produtos de higiene nasal, como águas do mar isotónicas ou hipertónicas, o soro fisiológico, entre outros;

Vacinas anti-alérgicas.

Rinite Alérgica: Uma Complicação?

Agora que já conheces um pouco mais sobre rinite alérgica, já estás mais consciente para a mesma e quais os cuidados e medidas a tomar.

Nunca te esqueças que os medicamentos apenas devem ser tomados sob indicação médica. Se vires que os sintomas não passam com a medicação prescrita, deves comunicar ao médico para te ser prescrita nova terapêutica.

Ricardo Rodrigues

Farmacêutico, pós-graduado em Dermatocosmetologia, autor do blogue "O Pinguim Sem Asas" e natural da cidade do Porto. Um apaixonado por cosméticos que acredita que toda a gente tem potencial para ter uma pele incrível e saudável!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *