Comprar Smart TV: O que ter em conta?

Sempre que vais a casa dos teus amigos ficas com inveja daquela TV enorme com excelente imagem onde os filmes parecem ganhar vida e os jogos de futebol ficam ainda mais emocionantes?

Se este é o teu caso ou simplesmente procuras atualizar a tua TV de há 10 ou 15 anos atrás, então estamos aqui para te ajudar.

Todos sabemos que a tecnologia tem dado passos gigantes e aquilo que antigamente se mantinha atual durante 5, 10 ou mais anos, hoje em dia qualquer equipamento tecnológico fica obsoleto em menos de 5. Isto é particularmente verdade quando falamos de telemóveis, consolas de jogos e computadores. Mas as TV’s também “sofrem” do mesmo mal.

Nos últimos 10 anos, assistimos à proliferação das TV’s de alta definição, vulgarmente conhecidas como TV FULL HD. Aquando do lançamento dos primeiros aparelhos, pouco conteúdo existia em alta definição, algo que, entretanto, mudou e os próprios canais de TV mais generalistas passaram a emitir em alta definição, normalizando o HD.

Tivemos também uma curta (e talvez embaraçosa) incursão do mercado pelo formato 3D. Todos nos maravilhávamos com aquela imagem tridimensional, mas a verdade é que muito poucos se atreveram a gastar dinheiros nestes equipamentos fazendo com que o mercado rapidamente abolisse esta tecnologia. Talvez num futuro mais próximo o 3D retorne quando não tiver como requisito principal a utilização de óculos, tornando a experiência bem mais agradável.

Hoje em dia a moda é o 4K. Praticamente todas as TV’s no mercado têm resolução 4K, ou seja, 4x mais resolução que o anterior HD. Mas, apesar de ser muito escasso o conteúdo televisivo em 4K (inclusive canais como a Sport TV que tinha um canal exclusivo em 4K para grandes jogos de futebol, acabaram por retirar esse serviço da grelha), esta tecnologia tem vindo a vingar. E porquê? Devido a outra componente destas TV’s. Para além de ser uma TV com ultra-definição, estas foram renomeadas e agora chamam-se Smart TV’s.

A Smart TV passou de ser um mero equipamento limitado a passar aquilo que os canais exibiam ou para vermos os DVD’s que tínhamos lá por casa, para ser a nossa central de entretenimento. Dada a qualidade de imagem das mesmas, o tamanho também começou a aumentar e, hoje em dia, é habitual termos em casa uma TV de 55′ onde conseguimos usufruir de uma excelente experiência cinematográfica.

Estas TV’s vêm também equipadas com acesso à internet, sendo esta a principal características das mesmas, recorrendo a um sistema operativo próprio. Pensem no vosso tablet que em vez de ter 10′ tem um ecrã várias vezes maior e está em cima do móvel da sala ou pendurado numa parede. É possível instalar as mais variadas aplicações, adaptadas às preferências de cada utilizador e assim usufruir de uma experiência personalizada e muito mais agradável.

Ver vídeos no Youtube é muito mais prazeroso quando o podemos fazer sentados no sofá e a usufruir da qualidade 4K! A Netflix é também uma das APP’s principais que encontramos numa Smart TV e a grande variedade de conteúdo disponível em 4K ou UHD veio definitivamente marcar a posição desta tecnologia no mercado.

Ficaste entusiasmado e queres comprar uma Smart TV? Então antes de tomares qualquer decisão, aconselhamos-te a ter em conta alguns factores.

Tamanho do ecrã: Este é um ponto essencial. Não vais querer uma Smart TV demasiado pequena que te obrigue a chegar o sofá para junto da mesma, mas também não vais querer um ecrã que te ocupa toda a parede e ainda parte da janela! Deves escolher o ecrã tendo em conta o espaço disponível, mas também a distância entre o lugar onde vais assistir (o vulgo sofá) e o local onde a vais colocar. Para te ajudar, deixamos-te abaixo um guia.

Preço: No início, as Smart TV’s eram demasiado caras. Na ordem dos milhares de euros, mas isso tem sofrido grandes mudanças e uma Smart TV de 50′ consegue-se hoje em dia por menos de 500€ em algumas marcas de qualidade reconhecida, como a Samsung ou a LG.

LCD ou OLED: Por norma, os ecrãs com tecnologia OLED são mais finos e com mais qualidade, cores mais definidas e inclusive permitem ecrãs curvos e até dobráveis. Mas são também mais caros. Se o que pretendes é acima de tudo qualidade, OLED é o que deves procurar. No entanto, o LCD também consegue ter uma excelente relação qualidade-preço para quem o orçamento é mais limitado.

Há outros aspetos a ter em consideração tais como o número de ligações HDMI (aconselhamos-te a escolher um modelo com pelo menos 4 ligações e preferencialmente HDMI 2.1), a frequência de imagem de 120Hz, assim como a qualidade do som (que por norma é razoável mas nada de extraordinário) onde o nosso conselho vai para a compra em separado de uma Soundbar que te permite usufruir de um excelente som com um design minimalista e elegante.

Esperamos ter-te ajudado na decisão da compra da tua nova Smart TV e lembra-te, se fomos úteis, deixa o teu comentário e partilha com os teus amigos!

César Neves

Mais um igual aos outros. Tanto tem de bom moço como de mau feitio (se não acreditam, perguntem à esposa). Deixou crescer a barba para parecer mais velho mas apenas o confundem com o Rui Unas. Workaholic por excelência, dorme pouco e mal e adora comer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *