Mãe deixa-me conhecer a natureza

Sou uma criança e gosto de brincar, posso experimentar brincar na natureza? Posso conhecer cada planta, animal ou sensação de verdade? 

Mãe, olha este brinquedo com animais da quinta? A ovelha tem pêlo liso, escorregadio, plástico e frio? Posso ver e sentir uma de verdade? 

Mãe já viste a paisagem que vejo no livro? É diferente a cada estação. Mas não consigo percebê-lo em pleno se não a vir. 

Mãe já vistes as folhas que caem no chão? Disseram-me numa canção que fazem “crush”, mas na verdade eu nunca ouvi. Posso pisá-las e tocá-las? 

Mãe olha a chuva que cai pela janela, são pequenas gotas de água. Mas são quentes como o banho? Ou tranquilas como as ondas do mar? Posso molhar-me e experimentar? 

Mãe que flor tão linda… disseste-me que não lhe posso tocar, mas posso ajudar-te a cuidar dela? Como cresce? E como foi parar aí ao vaso? 

Mãe olha na televisão: é uma serra… tem tantas árvores… mais do que as do parque infantil. São do mesmo tamanho? Posso brincar lá? 

Mãe eu sei que estás com pressa, mas encontrei uma formiga. Igual à das histórias. Posso observá-la? Ver como se move tão rapidamente, ver o tamanho e cor, posso? 

Mãe olha, está uma vaquinha desenhada neste pacote de leite. Mas como é uma vaca de verdade? Assim pequenina? Posso vê-la? 

Mãe não vais acreditar, existe um sítio em que podemos correr muito, sem obstáculos de ferro ou de plástico. Chamam-lhe mata. Eu posso ir? 

Mãe olha a árvore tem uma bolinhas esquisitas, são frutos? Eu posso colher e provar? 

Mãe eu sei que não tens tempo, que não queres que me suje e que tens medo que me aventure a trepar árvores e rochas. Eu sei que o arranhões no joelho e as nódoas negras ferem o teu coração.

Eu sei que já conheces a natureza mas eu não. Deixa-me brincar lá, explorar. Nem preciso de brinquedos. Os paus são espadas de piratas, as pedras a âncora e as folhas são ondas do mar. Deixa-me ouvir, ver, cheirar e provar para não me esquecer mais. Deixa-me aprender como andar e exercitar lá e eu cairei cada vez menos. Deixa-me sentir cada detalhe para o amar e respeitar desde sempre. 

Mãe, deixa-me conhecer a natureza e vem comigo para me mostrares, me ensinares, me observares. Vamos ser os dois muitos felizes. 

Patrícia Paulo

Educadora de Infância e Mãe de dois. Alia a experiência à formação e partilha o seu conhecimento com pais e profissionais. Utiliza a escrita como forma de os ajudar a tomar decisões e executar ações conscientes e informadas no âmbito da educação. Autora da página Le Petit Vi

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *