O meu filho foi mordido na creche

Quando chegamos à creche e o nosso bebé tem uma marca de dentes no seu corpo o nosso coração fica em 1000 pedaços e o nosso lado animal salta para proteger a nossa cria. Mas porque acontece? Porque não se consegue evitar? 

Não é fácil evitar esta manifestação. Por muitos olhos que os profissionais tenham, por poucas crianças que a sala tenha, é difícil chegar a tempo de evitar uma ação de ocorre em frações de segundos e que, grande parte das vezes não se consegue prever.

Mas porque é que os bebés mordem? 

Os bebés mordem por vários motivos. Em primeira instância a forma deles conhecerem o mundo passa muito pela boca. Na fase oral eles reconhecem objetos e tudo o resto através da boca, por isso colocam tudo lá, incluindo o braço do amigo.

Esta fase coincide também com o nascimento dos dentes: morder alivia a dor e eles ainda não conseguem ter noção que o seu alívio de dor causa dor no outro. 

Outra das grandes razões prende-se ao facto do bebé não saber comunicar através de palavras, fazendo-o através do choro e de ações físicas. Morder pode ser uma forma eficaz de ganhar aquele brinquedo a ser disputado naquele momento. 

E quando um amigo lhe morde e ele larga o brinquedo ele percebe que a mordida é eficiente e reproduz noutro amigo. Esta ação torna-se numa bola de neve e progressivamente mais difícil de controlar. 

Mas porque não se consegue evitar? 

Os bebés vivem em constante interação (com ou sem COVID, são bebés e felizmente a maioria das creches tem isso em conta) e por isso não é solução isolar um bebé que morde, a não ser que queiramos que, no dia em que ele volte para junto dos amigos, não saiba de todo estar em grupo.

Também não é solução proibi-lo de colocar tudo na boca, uma vez que é assim que ele reconhece o mundo que o rodeia.

Mesmo que exista um adulto para cada três crianças, rapidamente um bebé morde noutro e não é possível chegar a horas. 

Existe alguma forma de prevenir? 

Mostrar ao bebé objetos que o ajudam a aliviar a dor no nascimento dos dentes pode fazer com que ele opte pelos objetos ao invés de morder um colega da sala.

Explicar que o colega está magoado e mostrar a mordida vai, a partir do momento em que o bebé compreende a mensagem oral, fazer com que, progressivamente controle os seus impulsos.

Por fim ensinar formas de expressão diferentes da mordida pode também ajudar a evitar para quando os bebés já se expressam por palavras.

O principal é olhar para as mordidas como um ato comum na idade e não como um ato de maldade. Isso ajuda-nos a compreender os dois lados e a tomar decisões mais conscientes, quer enquanto pais, quer enquanto profissionais.

Patrícia Paulo

Educadora de Infância e Mãe de dois. Alia a experiência à formação e partilha o seu conhecimento com pais e profissionais. Utiliza a escrita como forma de os ajudar a tomar decisões e executar ações conscientes e informadas no âmbito da educação. Autora da página Le Petit Vi

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *