Tarifa social de internet

Está a ser preparada uma proposta de lei que visa criar uma tarifa social de internet a ser aplicada a quem beneficia da tarifa social de eletricidade. Será esta medida capaz de trazer a internet a todas as casas do país?

Perante o cenário da pandemia do Covid-19, toda a população foi obrigada a alterar os seus hábitos e um deles passou por passar a estar em teletrabalho, limitar as visitas a familiares e amigos e principalmente para quem tem filhos, passar a ter a escola em casa.

Para além da dificuldade de adaptação de muita gente, também foi percetível uma outra realidade – ainda há muitas casas onde a internet não existe ou é muito limitada. Não apenas locais mais remotos, mas principalmente famílias com carências. Em muitos destes casos, a internet existe sob a forma de dados móveis nos telemóveis que permitem estar em contacto com família e amigos, mas nunca antes utilizada num contexto de teletrabalho ou de reuniões virtuais com os professores para ter aulas.

Neste sentido, com o objetivo de chegar ao máximo de casas possível, está a ser elaborada uma proposta de tarifa social de internet que irá permitir aos atuais beneficiários da mesma tarifa mas para a eletricidade, poderem ter acesso ao serviço de internet a preços mais reduzidos.

Segundo o Governo, não há motivos para que esta lei não avance em breve. Os preços considerados elevados atualmente praticados pelos operadores são há muito tempo alvo de críticas, visando principalmente a Anacom que, segundo afirmam, nada faz para reduzir os mesmos.

Para ter acesso a esta tarifa social são consideradas situações como o desemprego e, de uma forma geral, baixos rendimentos.

Em média, cada família gasta por ano cerca de 700€ em pacotes de telecomunicações, o que para algumas famílias é um valor demasiado elevado e torne estes serviços secundários e até mesmo dispensáveis.

Numa altura em que a internet é praticamente um bem essencial na sociedade, uma medida como esta só irá diminuir as desigualdades entre classes e promover o acesso à informação a todos os cidadãos.

César Neves

Mais um igual aos outros. Tanto tem de bom moço como de mau feitio (se não acreditam, perguntem à esposa). Deixou crescer a barba para parecer mais velho mas apenas o confundem com o Rui Unas. Workaholic por excelência, dorme pouco e mal e adora comer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *